Mobilidades Docentes Agrupamento Albergaria-a-Velha 2017

Manuela Almeida – Docente do AEAAV e Coordenadora dos Cursos Profissionais

Deslocou-se a Palermo, Itália, ao abrigo de uma mobilidade Erasmus+.

Foi com um espírito muito entusiasta que liderei todo o processo de participação da nossa escola, com o apoio incondicional dos colegas envolvidos, passando logo à fase de motivação dos alunos. Gostaria de deixar aqui uma palavra de apreço a estes alunos, que tão prontamente se voluntariaram para este desafio, sujeitando-se a entrevistas, a formação linguística e cultural dos países onde iriam residir durante dois meses e a uma preparação ao nível técnico e pessoal, para viverem esta experiência longe de casa, da cidade, dos amigos e da família.

A recompensa no entanto, foi enorme. Ao longo de todos estes meses em que tive oportunidade de privar com eles mais proximamente, tive o privilégio de assistir ao seu crescimento, de acompanhar os melhores momentos e os menos bons e acima de tudo, de os ver a desenvolver autonomias, a adquirirem competências, tanto a nível profissional, como individual e a munirem-se de ferramentas que lhes permitirão sobreviver com êxito no mundo do trabalho do século XXI.

Enquanto docente, tive também a oportunidade de desenvolver um programa de mobilidade, no âmbito do acompanhamento/orientação dos alunos, que enriqueceu bastante a minha formação, quer profissional quer pessoal. Tive oportunidade de observar e partilhar diferentes práticas a vários níveis, no âmbito educativo, na Formação em Contexto de Trabalho, nas estratégias e metodologias de trabalho e, como não poderia deixar de ser, no âmbito cultural e linguístico.

Edgar Borges – Docente do AEAAV

Esteve em Tallinn, Estónia, ao abrigo de uma mobilidade Erasmus+.

Esta foi a primeira experiência de formação no âmbito de acompanhamento/orientação de alunos no projeto Erasmus+ e que excedeu amplamente as expectativas, quer no plano profissional com a existência de partilha de práticas em Formação Contexto Trabalho, quer no âmbito educativo na observação e aprendizagem de novas estratégias metodológicas de aprendizagem, quer ainda pelo no enriquecimento cultural do país (Estónia).

Esta experiência formativa permitiu relacionar não só metodologias, mas também a gestão de tempo em função das tarefas diárias, quer no âmbito educativo quer no âmbito empresarial.

No âmbito educativo o conhecimento de outras realidades/estratégias permitiu compreender melhor que o aluno aprende melhor com base em desafios e que estes devem ser realizados no período de aula. Ficou evidente que a metodologia de projeto é um fator primordial no desenvolvimento cognitivo dos mais jovens, uma prática que tenho vindo a desenvolver e que neste país acolhedor já o faz de forma generalizada.

Paula Pinto – Docente do AEAAV

Realizou uma mobilidade Erasmus+ em Bilbao.

Tive a oportunidade participar numa mobilidade, no âmbito do acompanhamento/orientação dos alunos, que foi bastante proveitosa. Pude observar e partilhar diferentes práticas no âmbito educativo, na Formação em Contexto de Trabalho, nas estratégias e metodologias de trabalho e, claramente, no âmbito cultural e linguístico. Como detinha pouca experiência relativamente a acompanhamento de Formação em Contexto de Trabalho, foi para mim uma experiência enriquecedora, pois proporcionou-me um contacto direto com as empresas onde os alunos estiveram a trabalhar e compreender os mecanismos deste tipo de formação.

Finalizado o meu período de mobilidade, devo reconhecer que foi bastante importante o acompanhamento dos alunos na fase de integração, pois foi possível proporcionar-lhes mecanismos para “sobreviverem” à experiência de estarem, pela primeira vez, fora de casa por um período longo, longe dos pais e família, numa grande cidade, num país diferente com uma cultura diferente e uma língua desconhecida para alguns deles.

Estas mobilidades realizaram-se ao no âmbito do projeto 2016-1-PT01-KA102-022559, um consórcio de seis Escolas, coordenado pela AEVA.